01-285x404-BalançoEnergético2006.png

Maldito Juscelino

16 x 23 cm - 272 páginas

Formato:

Autor:

Pedro da Cunha e Menezes

Sinopse

A trama de Maldito Juscelino envolve crime, suspense e violência. Classificar o livro como um representante do gênero policial, entretanto, seria um equívoco só permitido aos cegos. Embora sua história objetive prender e agradar a todos os leitores, o valor da obra não está somente na substância, mas também na forma. Ao contrário de Brasília, que foi projetada sobre a cartografia do Planalto Central, Maldito Juscelino foi concebido sobre um mapa detalhado do Grande Rio.

O romance aborda a decadência da cidade maravilhosa sob o prisma de vários personagens. Alguns com pinta de estrela, outros com apenas 15 minutos de fama, nenhum deles aparece gratuitamente. Todos têm alguma ligação profunda com a Guanabara. Seus interesses e paixões são cariocas: leem Lima Barreto, José de Alencar e Rubem Fonseca, escutam Marcelinho da Lua, Farofa Carioca, Pixinguinha e MV Bill, evocam D. Sebastião, Zuenir Ventura e Raimundo de Castro Maia, mergulham nas Ilhas Cagarras, sobem as montanhas da região oceânica de Niterói, jantam nos restaurantes de Santa Teresa, apreciam as estátuas que adornam as ruas da antiga capital do Brasil.

A trama discute os valores em voga na cidade e mostra o Rio nu e cru como ele é, apresentando ao leitor lados da Guanabara que ele provavelmente não conhece. Tudo fruto do mapa que o autor seguiu.

Jakobsson-Banner-2.png

Edições em capa dura, papel especial e design exclusivo.

Capa do livro "Flora das Caatingas do Rio de Janeiro"
Capa do livro "Lagoa"
Capa do livro "Baía de Guanabara"